China: 83 Milhões Vivendo Sozinhos — Beia Carvalho — Palestras

Quer ficar por dentro do futuro? Fácil. Deixe seu email e receba os super artigos da Futurista Beia Carvalho 😉

 
27 de junho de 2016

“Olha ali! Aonde? Ali! Um casal de homem e mulher com 2 filhos!”

 

Família com 2 filhos será um espanto em 2030!

Digo nas minhas palestras que em 2030, famílias compostas de 1 homem e 1 mulher e 2 filhos serão ultrapassadas por todo tipo de família: casal (hetero, homo, transexuais) com 1 ou 2, ou sem filhos; famílias com 1 adulto (hetero, homo, trans) com 1 ou 2, ou sem filhos.

São as Novas Famílias, vistas – ao mesmo tempo – como desequilíbrio da sustentabilidade, por pressionarem por mais infraestrutura e serviços; e como propulsoras do consumo, fazendo a roda da economia girar, mesmo em tempos de decadência de natalidade.

Leia mais neste artigo, que traduzi livremente do site da Bloomberg.

A Virada na Família Chinesa: 83 Milhões Vivendo Sozinhos.

Casal com 2 filhos vai perdendo sua normalidade para outros tipos de família.
Domicílios Unipessoais: 83 milhões de chineses

Mais chineses estão vivendo sozinhos por conta do envelhecimento da população, do aumento dos divórcios e jovens mais ricos mudando da casa de seus pais. A Universidade de Cingapura estima que 83 milhões de pessoas estão morando sozinhas, liderados por jovens entre 15 e 34, de acordo com Jean Yeung, diretor do Centro de Pesquisa para Família e População, da universidade.

Lares com uma única pessoa, ou unipessoais, podem chegar a 132 milhões em 2050. A China tinha 66 milhões de lares unipessoais registrados em 2014, ou 15% dos domicílios, comparados com 6% em 1990, de acordo com dados governamentais.

 

Jovens chineses de alto poder aquisitivo se mudam das casas dos pais.

Essas forças estão corroendo a estrutura econômica baseada em unidades familiares que remontam a centenas de anos. Aquelas que Mao Tsé-Tung tentou destruir durante a Revolução Cultural. Onde Mao fracassou, o crescimento econômico vem obtendo sucesso, acelerando a demanda por mais energia, bens de consumo e automóveis e pressão crescente sobre serviços para os mais velhos.

Nicholas Eberstadt, demógrafo do Instituto Americano Enterprise, em Washington: “Pode afetar principalmente a composição e, em algum grau, a qualidade do crescimento na China. Essa é uma parte da transição da China para uma economia impulsionada pelo consumo.”

 

Fonte Bloomberg:
Family Shift in China Means 83 Million Living Alone: Chart
http://www.bloomberg.com/news/articles/2016-06-22/family-shift-in-china-means-83-million-living-alone-chart

The Lonely Aftermath of China’s One Child Policy
http://www.bloomberg.com/news/articles/2016-06-21/behind-china-s-one-child-policy-is-a-growing-army-living-alone

27 de junho de 2016